domingo, 10 de abril de 2011

Indaguei-me


Hoje de manhã não acordei.
Será um sonho?
Nossa... apetitoso!
Uma descarga de saudades?
Nossa que vontade!
E lá estou mais uma vez ao seu lado.
Você ainda dorme, enquanto eu te admiro.
Tudo o que queria era poder descrever cada sensação.
Queria saber escrever em poesia, cada olhar, cada carinho, cada amor.
Transformar em melodia cada sussurro, cada satisfação, cada toque.
Nossa existente necessidade de contato.
Dos nossos lábios o hipotético sorriso.
Do nosso olhar o desejo impulsivo.
Você tira meu sossego.
Congestiona meu querer.
Revira meus pensamentos.
Remexe com minhas certezas.
Desorienta a minha razão.
Amanhece um novo dia.
Já não sei se é real.
Não quero esperar.
Não quero abraços, beijos, cheiros.
Quero o meu coração!
Quero acordar!

Deborah Vale

3 comentários:

Marcela Ohana disse...

aí a pessoa cai da cama desorientada, e as sensações de sonho e realidade se misturam por alguns segundos, mas aí voce acorda....

né???

Sentimentos às vezes não compreendidos! disse...

Verdade, ai vem a pior hora, saber que o sonho não existe....

Vanessa Souza Moraes disse...

Que será, que será...